Floresta entre as comunidades de Anã e Maripá, RESEX Tapajós-Arapiuns

Baixo-Amazonas

De 2004 até 2008 morei e trabalhei na região do Baixo-Amazonas, estado do Pará (Brasil); de 2009 em diante, mesmo não morando mais nesta região, tenho acompanhado os acontecimentos e realizado atividades com relação à esta.

O povoamento do Baixo-Amazonas (400 mil km2 e pouco mais de 710 mil habitantes) é concentrado ao longo dos rios e, em medida menor, das principais eixos viários. A florestas é predominante, apesar do que seja cotidianamente diminuída, por causa do desmatamento. A principal cidade é Santarém (300 mil habitantes).

A região, densamente povoada ainda no século XVI, foi atormentada, ao longo dos séculos, pela vinda dos colonizadores, que modificaram profundamente a configuração espacial e social. Os povos locais porém demonstraram uma forte resiliência, conservando muitas tradições e adaptando-as às mudadas condições.

No Baixo-Amazonas é muito forte o conflito entre opostos modelos de desenvolvimento, em uma tensão que as pessoas experimentam, entre a vontade de acessar bens e serviços dos quais foram excluídos, e a de manter vivas as própria práticas sociais, econômicas e culturais.

  • Nestes lugares coordenei para ISCOS, e depois para MAÌS o projeto apelidado de Uirapurú.
  • As atividades desenvolvidas na região do rio Tamuataí, no município de Prainha, são entre as mais sucedidas deste projeto; para saber mais, pode ir nesta página.
  • Visualizar no meu blog os post relacionados a algumas atividades no Baixo-Amazonas (após 2008).
  • Ver no Google Maps o mapa da região.